Comprovado: Barrichello é um mané.

maio 8, 2008 at 2:28 pm 2 comentários

O assunto é tão ridículo e o texto é tão bem escrito que resolvi transcrever na íntegra essa postagem do Blog Do Capelli.

“Depois de ler O Segredo (livro de auto-ajuda) e assistir a Quem Somos Nós? (filme de auto-ajuda), mudei muito. Não acredito mais na sorte. Pensar de maneira derrotista atrai energias negativas. Essa coisa da energia teve muita influência sobre mim.”

Você desconfia de quem se trata? Nem vou dizer nada.

————————————————————

Para quem ficou boiando no post anterior, a tal entrevista que citei foi de Rubens Barrichello à revista Veja (argh – grifo nosso). Para quem quiser ler, ela está aqui.

Havia falado, jocosamente, que não diria nada sobre o assunto. Mas o silêncio do blogueiro suscita ainda mais polêmica, então vamos lá, sem pensar com o fígado.

Respeito muito Rubens Barrichello como piloto. Teve a difícil missão de capitanear o Brasil na Fórmula 1 durante quase dez anos. Sofreu toda a sorte de pressões, mas no fim sobreviveu. Cometeu erros, mas teve muito mais acertos em toda a sua carreira. Tem um histórico respeitável e minha admiração por grandes atuações que protagonizou nas pistas, como em Donington/1993, Magny-Cours/1999, Hockenheim/2000 ou Silvertone/2003.

Porém, com um microfone na boca, o rapaz é uma temeridade. De tão honesto, chega a ser ingênuo. E termina por passar por bobo. Entendo como simplesmente inadmissível um esportista de alto nível, destaque numa categoria de ponta, com mais de 15 anos de carreira e quase 40 anos nas costas, ter precisado ler algo tão pobre, infantil e didático como o tal “O Segredo” ou ter visto um filme tão farsesco como “Quem Somos Nós?” para perceber que “sorte” e “azar” não existem. E pior, fala um absurdo desses em público sem ter noção do que está falando.

Barrichello sonhou, por anos, bater Michael Schumacher. Nunca conseguiu, em parte porque a Ferrari não permitia. Mas mesmo que permitisse, não bateria do mesmo jeito. Simplesmente porque Schumacher não precisava de “O Segredo” para vencer e entender a realidade ao seu redor. Provavelmente nunca leu um livro de auto-ajuda na vida. Pelo contrário, o alemão poderia até escrever o seu próprio livro, usando seu exemplo de sucesso para tirar uma grana dos mais incautos e “ensiná-los” a serem vencedores.

Desculpem os que não concordam, mas esta é minha opinião. Quem pensa o contrário pode falar, o espaço de comentários é para isso mesmo.

Anúncios

Entry filed under: Fómula 1.

10 Discos Que Viciei: NEVERMIND Dilma é aplaudida em resposta a Agripino Maia

2 Comentários Add your own

  • 1. Wanessa  |  maio 8, 2008 às 10:11 pm

    Não sou contra livros de auto-ajuda(se eles ajudarem mesmo, ótimo p/quem lê), mas eu pensei algo semelhante tb qdo vi na revista:”o que é que um cara desses, que viaja por tantos lugares, conhece um monte de gente, um monte de histórias, ainda por cima, rico, vem dizer que mudou depois que leu O Segredo?”

    Pobre rapaz…

    Responder
  • 2. Marcos  |  maio 9, 2008 às 9:54 am

    Pobre rapaz milionário.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

maio 2008
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Most Recent Posts


%d blogueiros gostam disto: